domingo, 6 de março de 2011

NOTA DE REPÚDIO

É com muito temor que se avoluma os resquícios do coronelísmo com uma outra roupagem, onde se procura a administração pública da policia civil explicar o inexplicável; “O TIRO SAIU PELA CULATRA” o erro da diligencia foi tão terrível que os algozes, executores que assassinaram o policial “VALMIR BORGES GOMES”, conhecido popularmente como “NOSSO AMIGO”, estão impunes, mas já se encontra o pedido de socorro fazendo valer a lei, representado pelo sindicato dos policiais civis da Bahia.
VALMIR BORGES GOMES, rompeu a casa dos 23 anos de policia, de conduta representativa adequada que deixa transparecer um comportamento compatível com o exercício da função policial e que, se, por acaso houve um desvio de conduta, que seja apurado; não se contesta o possível desvio de conduta, porém, que seja provado, mas ele foi executado, tirando-lhe todo o direto de defesa, assim sendo executado por
diversos tiros pelas costas, morrendo sentado na direção de um veículo, com diversos tiros no pára-brisa traseiro e para provar a execução, como poderia ter sido ele, VALMIR, atirar em alguém sendo surpreendido com tiros nas costas e projetado para frente do volante da viatura da unidade policial em que trabalhava, já morto, executado, com uma perfuração de tiro na nuca e mais outros tiros espalhados nas costas, como se explica os tiros localizados nas costelas e não atingindo os braços que estavam na mesma direção, portanto o braço estava suspenso, como deveria se proteger da agressão que estava sofrendo. “Fica então bem claro, é execução”. Como a mídia “jornal massa” noticiou na edição da data de ontem 4/3/2011, na página policial, que os policiais envolvidos naquela situação são sujos igual a pau de galinheiro, não condiz com a verdade, é importante esclarecer, para cobranças futuras de quem está partindo as informações, que está denegrindo a imagem do policial executado covardemente, como os outros policiais. O Código Penal
Brasileiro – CPB, diz que: DOS CRIMES CONTRA A INVIOLABILIDADE DOS SEGREDOS. Divulgação de segredo Art. 153 - Divulgar alguém, sem justa causa, conteúdo de documento particular ou de correspondência confidencial, de que é destinatário ou detentor, e cuja divulgação possa produzir dano a outrem: Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.
§ 1o-A. Divulgar, sem justa causa, informações sigilosas ou reservadas, assim definidas em lei, contidas ou não nos sistemas de informações ou banco de dados da Administração Pública.
Pena - detenção, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa. É importante deixar claro que os antecedentes criminais só são fornecidos ao seu proprietário para que não seja execrado por alguém e nem pela autoridade policial. O preso só pode ter sua Imagem divulgada com sua autorização e só falará se assim quiser podendo ficar calado e só falar em juÍzo, obedecendo desta forma os preceitos constitucionais; portanto a cupla da SSP-BA está totalmente em desconformidade com a lei e desta forma está usando a mídia para justificar uma ação desastrosa, uma diligencia errada, e que os executores cumprindo ordem superiores, transpassaram o limite do real, agiram como detentores do bem e do mal da vida e da morte, traçaram um plano de ação
para executar covardemente um homem de alma policial, os algozes, assassinos, todos coordenados por um delegado de policia, partiram juntos o pelotão de execução senhores da vida e da morte, para ceifar a vida de um pai de família que morreu sentado na direção de uma viatura policial descaracterizada, alvejado covardemente com vários tiros nas costas e na nuca, embaixo dos braços, que mostra que os braços estavam
suspensos, pois é, executaram um colega de profissão, também policial. Sem provarem que estavam fazendo extorsão.

Vejamos: Os antecedentes criminais de VALMIR BORGES GOMES, Responde a um processo pelo portal da SSP por ter agredido a um individuo, que não declinaremos o nome, que é um fato corriqueiro para qualquer policial que está em área de operação na rua, até mesmo pelo seu estado de stress e assim está propenso às mazelas do serviço, ou seja qualquer pessoa que dê um tapa em alguém e este alguém procure a corregedoria da policia civil, já fica maculado. Vejam no portal da justiça não há maculação, digo mancha que denigra a imagem do policial, portanto era um bom policial, há todos os seus colegas ele dizia, aqui na terra cumpro minha missão fazendo o que mais gosto, ajudar as pessoas e como policial posso proteger e amparar aqueles que necessitam de nós e com este pensamento este policial passou 23 anos de sua vida no exercício da função e nas linhas de frente no combate ao crime, subindo morro, descendo morro, levando
tiro e revidando, mas no cumprimento da função policial, sua juventude foi voltada para a prestação do serviço público no combate ao crime e desta forma investiu sua juventude, seu sangue, sua vida para proteger aqueles que necessitavam da policia, mas foi morto pelo pelotão de fuzilamento do “COE E
OUTROS POLICIAIS DA DTE”, Cujos nomes serão revelados mais abaixo.
Varias denuncias estão surgindo na parte do leitor, em diversos jornais, mas como nós sabemos, isto é contra- espionagem, como forma de preparar de diversas formas materialidade e de tornar a execução justa, ou seja uma forma de justificar o auto de resistência contra os assassinos, agora veja, o morto cheio de tiros nas costas, na nuca, onde está a resistência, não existe resistência, é execução.
Na Policia Civil existe escalas de plantões e que deve atender a folha de pagamento como em qualquer empresa privada, bom, vamos lá, observemos a seguinte armação para dar veracidade a ação desastrosa dos assassinos em que executaram o policial civil “Valmir Borges Gomes”, existe uma equipe de peritos escalados e que são repassados para centel onde determina o encaminhamento, deslocamento para  se efetuar as perícias em locais requisitados pela autoridade policial.
O servidor público que fez a perícia em loco na fatídica noite em que executaram o policial Valmir Borges Gomes, não estava escalado de plantão no seu setor de serviço, a equipe era outra, desta forma o servidor perito policial identificado por “Osvaldo”, não estava de plantão na equipe de peritos, assim mascarando toda a área da ação criminosa, ao seu bel prazer e vontade, tornou válido a ação desastrosa de execução do policial civil em apreço. Fato este que na presença de (4) quatro autoridades policiais, não poderiam consentir que tal ação fosse feita e sim pelos policiais civis peritos de plantão,  porque tinha equipe, para isso legitimidade, para não ser contestado. Então deverá fazer nova perícia e se possível exumação de cadáver, reconstituição da ação criminosa de execução sumária, valendo salientar que nada ficou provado quanto a extorsão, apenas a execução contra o policial.
** “QUEM FEZ A PERICIA NÃO FOI O PERITO DE PLANTÃO” e os delegados presentes não poderiam deixar que isso acontecesse, tudo deixa entender que a área foi maquiada.
**QUANDO ENVOLVE FATO PARA PRENDER POLiCIAIS QUEM DESLOCA-SE É A CORREGEDORIA DE POLICIA CIVIL, ESTAVAM LÁ...
**OS ASSASSINOS DO COE ESTAVAM COM MAIS DE 20 POLICIAIS, FORA OS ASSASSINOS DA DTE, CONTRA APENAS UM POLICIAL.
**O MARGINAL QUE O JORNAL DISSE “GAROTÃO DE 19 ANOS”, SIM UM JOVEM RAPAZ, SÓ QUE LIGADO AO MUNDO DAS DROGAS E POR ISSO NÃO RETIRA-SE DELE
O DEVER QUE O ESTADO TEM DE PUNILO POR TRÁFICO; QUEM É....
**QUAL O REGISTRO FEITO PELO MARGINAL QUE JUNTO COM OS OUTROS ASSASSINOS LEVARAM O PELOTÃO
DE FUZILAMENTO DONOS DA VIDA E DA MORTE A CEIFAR A VIDA DE UM PAI DE FAMÍLIA....
**SE O POLICIAL CIVIL, VALMIR BORGES GOMES, QUE TEVE SUA VIDA RETIRADA PELO PELOTÃO DE FUZILAMENTO DOS POLICIAIS DO “COE e DA DTE”, ESTIVESSE ERRADO, QUE FOSSE PRESO EM FLAGRANTE DELITO, LEVADO AS RAIS DOS TRIBUNAIS E QUE MESMO VIVO PODERIA DE OUTRA FORMA SUSTENTAR A FAMÍLIA COM O SUOR DE SEU ROSTO, TRABALHANDO FORA DO SERVIÇO PÚBLICO, MAS NÃO, ATIRARAM CONTRA O POLICIAL E TIRARAM A SUA VIDA.
O CORONEL SANTANA DA (PM), FOI PRESO COM UMA MALA DE DINHEIRO, PRESO EM FLAGRANTE DELITO PELA EXTORÇÃO, NA ÉPOCA COMANDANTE GERAL DA (PM), NÃO FOI EXCLUIDO, FOI APOSENTADO COM TODOS OS SEUS DIRETOS E PROVENTOS,
CONCORREU A UMA CADEIRA NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA E ESTÁ AÍ NA PRAIA, TOMANDO SOL, CURTINDO, CHEIO DE DINHEIRO; PORQUE NÃO DERAM MUITOS TIROS NELE COMO FIZERAM COM O POLICIAL VALMIR BORGES GOMES.
PESSOAS QUE DEVERIAM TER A CONDUTA ILIBADA E ESTÃO EM PONTOS DIVERSOS DO GOVERNO E QUE TEM TELHADOI DE VIDRO, SE JOGAR PEDRA QUEBRA O TELHADO, DEVERIAM PRESTAR CONTA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
**A LEI DEVERIA SER APLICADA DE CIMA PARA BAIXO COM AUMENTO DE PENA.
**AS ARMAS, ERAM DO POLOICIAL OU FOI PLANTADO...
**DIREITOS HUMANOS PARA O POLICIAL, NEM SE FALA, ONDE ESTÁ A COMISSÃO DE DIRETOS HUMANOS DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA...
**A POLICIA CIVIL ESTAVA EM GRAVE E QUANDO MATARAM O POLICIAL CIVIL QUE OCUPAVA O CARGO DE DELEGADO DE POLICIA ”CLEITON LEÃO”, TODA A CORPORAÇÃO SUSPENDERAM A GREVE ATENDENDO O CHAMADO DO SINDICATO NA PESSOA DO PRESIDENTE E VICE-PRESIDENTE “LIMA E MARCOS” E PARTIMOS PARA O SETOR DE OPERAÇÃO ATÉ CULMINAR NA PRISÃO DOS MARGINAIS E NEM POR ISSO NENHUM MARGINAL FOI EXECUTADO, PELO FATO DE QUE NO BRASIL ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO NÃO EXISTE PENA DE MORTE, OS PRESOS FORAM APRESENTADOS AO EX-
SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA, CESAR NUNES.
**O DELEGADO GERAL DA POLICIA CIVIL E O
SECCRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA AINDA PERMANESSEM DIZENDO QUE A AÇÃO FOI LEGITIMA.
O JORNAL “MASSA” NA PÁGINA 14 ONDE TRATA DE ASSUNTOS DE POLICIA RELATA QUE O “MP” PEDIU A PRISÃO PREVENTIVA DO POLICIAL ANTONIO DANTE BARBOSA FERREIRA, TAMBÉM ACUSADO DA EXTORSÃO, DEVE-SE ENTENDER O QUE CABE A PRISÃO PREVENTIVA QUE FOI SOLICITADO PELO DELEGADO DE POLICIA QUE PRESIDE O INQUERITO, QUE INQUÉRITO, .. QUAL OCORRÊNCIA...
DA PRISÃO PREVENTIVA:
  Art. 311. Em qualquer fase do inquérito policial ou da instrução criminal, caberá a prisão preventiva decretada pelo juiz, de ofício, a requerimento do Ministério Público, ou do querelante, ou mediante representação da autoridade policial.
Art. 312. A prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.
Art. 313. Em qualquer das circunstâncias, previstas no artigo anterior, será admitida a decretação da prisão
preventiva nos crimes dolosos.
I - punidos com reclusão.
II - punidos com detenção, quando se apurar que o indiciado é vadio ou, havendo dúvida sobre a sua
identidade, não fornecer ou não indicar elementos para esclarecê-la.
III - se o réu tiver sido condenado por outro crime doloso, em sentença transitada em julgado, ressalvado o disposto no parágrafo único do art. 46 do Código Penal.
IV - se o crime envolver violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos da lei específica, para garantir a execução das medidas protetivas de urgência.
Art. 314. A prisão preventiva em nenhum caso será decretada se o juiz verificar pelas provas constantes dos
autos ter o agente praticado o fato nas condições do art.
19, ns. I, II ou III do Código Penal.
Art. 315. O despacho que decretar ou denegar a prisão preventiva será sempre fundamentado.
Art. 316. O juiz poderá revogar a prisão preventiva se, no correr do processo, verificar a falta de motivo para que subsista, bem como de novo decretá-la, se sobrevierem razões que a justifiquem.
A MATÉRIA NA PARTE INFERIOR DA PÁGINA LADO ESQUERDO DIZ: “A SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMOU QUE O RAPAZ FOI LIBERADO PORQUE A MACONHA E OS SETE TUBOS DE LANÇA-PERFUME, QUE SERIAM DELES, FORAM ENCONTRADOS
NO CARRO DOS POLICIAIS CIVIS ACUSADOS DE EXTORSÃO; PORTANTO NÃO HÁ PROVAS QUE O MATERIAL FOSSE DO GAROTÃO”. VEJAMOS, SE O QUE CULMINOU, DESENCADEOU A OPERAÇÃO DESASTROSA DO PELOTÃO DE EXECUÇÃO FOI O MARGINAL GAROTÃO DONO DA LANÇA PERFUME E DA MACONHA, COMO SE EXPLICA A EXECUÇÃO JÁ QUE A AUTORIDADE DIZ, REPETE QUE A DROGA ERA DO POLICIAL, O QUE ESTARIA FAZENDO O GAROTÃO COM OS POLICIAIS JÁ QUE NEGA QUE ERA DONO DA DROGA, O GRAMPO COMO FALM A AUTORIDADE, COM AUTORIZAÇÃO DE QUAL JUIZ, RESPALDADO NA LEI, QUAL A INVESTIGAÇÃO QUE AUTORIZA DENTRO DE UM RESPALDO LEGAL.
VOCÊ TEM SUA LIBERDADE AGORA VIGIADA POR UM GRAMPO TELEFONICO COM AUTORIZAÇÃO DE UMA AUTORIDADE JUDICIÁRIA, QUAL É A INVESTIGAÇÃO.
POIS BEM, TUDO TEM LIMITE. ESTAMOS SOFRENDO UMA INVASÃO DE PRIVACIDADE A TODO O MOMENTO.
NA PARTE INFERIOR DO LADO DIREITO OBSERVA-SE COM, DESTAQUE PRETO O FUNDO DA MENSAGEM PARA CHAMAR A ATENÇÃO E QUE CITARAM O NOME DO POLICIAL “VALMIR BORGES GOMES ESTAVA LOTADO NA DELEGACIA DE REPRESSÃO A FURTOS
E ROUBOS (DRFR) E ERA POLICIAL HÁ 22 ANOS. O AGENTE RESPONDIA NA JUSTIÇA A UM PROCESSO POR TORTURA, ABERTO EM 2000. VALMIR, ANTONIO DANTE FERREIRA, QUE ESTAVA COM O POLICIAL MORTO ONTEM, E O INVESTIGADOR JURANDIR DESIDERIO JÁ TINHAM SE ENVOLVIDO EM UM TIROTEIO COM O SOLDADO PM WANDERLEY SILVA, EM DEZEMBRO DO ANO PASSADO, NA RIBEIRA. OS TRES AGENTES
TENTARAM EXTORQUIR ROQUE SOUZA SANTOS FILHO, DETIDO COM 33 TROUXINHAS DE MACONHA, UM PAPELOTE DE COCAINA E DUAS PEDRAS DE CRACK.
DURANATE A AÇÃO, O PM FOI AO SOCORRO DE ROQUE, QUE É SEU SOBRINHO, O SUPOSTO TRAFICANTE, VALMIR E JURANDIR FORAM FERIDOS DURANATE O BANGUE-BANGUE.
ESTE PARÁGRAFO ACIMA FICARÁ PARA CONTESTAÇÃO POSTERIOR PELO FATO DE NÃO
RELATAR A VERACIDADE DO FATO, ASSIM FICANDO À DISPOSIÇÃO DOS POLICIAIS  EMANDAREM AÇÃO NA JUSTIÇA CONTRA QUEM DE DIRETO AFIM DE RESPONDER AO AGRAVO NA MESMA INTENSIDADE ALÉM DE PLEITEAR NA ESFERA CIVIL INDENIZAÇÃO A QUAL ACHAR JUSTA.
OPERAÇÃO GUILHOTINA O ESTADO DO RIO DE JANBEIRO PASSOU POR UMA DEVASA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, MAIS PRECISAMENTE NA SEGURANÇA PÚBLICA, DE FORMA
QUE DEZENAS DE POLICIAIS FORAM PRESOS DE TODOS OS ESCALÕES DA (PM) E (PC) E NEM POR ISSO FORMARAM O PELOTÃO DE FUZILAMENTO PARA EXECUTAREM SEUS POLICIAIS.
ASS: POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DA BAHIA

Um comentário:

  1. NOTA DO BLOG: O editor do blog RELEASE HOJE publica esta nota pelo compromisso em divulgar tal manifestação, ressaltando que nossa política é de democratização da informação. Entretanto, consideramos que tal manifestação embora com dados firmados como consistentes, especialmente para a classe envolvida no evento, quiçá, levando até mesmo à formação de posição e visão do fato, nós, do RELEASE HOJE alertamos para o equívoco da nota não possuir uma assinatura que represente formalmente uma entidade organizada, o que torna esta NOTA DE REPÚDIO meramente "palpiteira". Portanto, consideramos este texto APÓCRIFO, já que não existe um autor de fato, mas uma assinatura genérica "POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DA BAHIA" que invalida e frustra o leitor ou o eventual cidadão que queira tirar tal informação como subsídio para uma posição quanto ao evento. Marcos Mauricio - Release Hoje

    ResponderExcluir