quarta-feira, 11 de maio de 2011

Santa Casa de Itabuna faz campanha de higienização das mãos

Como parte das ações da Semana de Enfermagem da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna (que ocorre entre os dias 16 e 20), será realizada ainda nesta terça-feira (17) uma mobilização em prol do Dia Nacional do Controle de Infecção Hospitalar, dia 15 de maio. Com ações simultâneas nos três hospitais da instituição, dinâmicas e distribuição de material informativo sobre o tema, a ação terá como público-alvo os colaboradores e profissionais da assistência hospitalar. Com o tema Desafio Global: Uma Assistência Limpa é uma Assistência Mais Segura, a orientação sobre a higienização das mãos será destaque.
Segundo a enfermeira coordenadora da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Hospital São Lucas, Priscila Chavenco, a higienização das mãos é uma medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde. “A ação preventiva engloba a higienização simples, a higienização anti-séptica, a fricção anti-séptica e a anti-sepsia cirúrgica das mãos. Antes de iniciar qualquer uma dessas técnicas, é necessário retirar jóias (anéis, pulseiras, relógio), pois sob tais objetos podem se acumular microrganismos”, destacou a enfermeira Priscila. O termo higienização das mãos é, assim, mais abrangente e substituiu a antiga nominação “lavagem das mãos”.
De acordo com a coordenadora da CCIH do Hospital Manoel Novaes, Maria do Socorro Costa Almeida, a pele das mãos são constituídas como a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência prestada aos pacientes. “Assim, a higienização das mãos serve para remoção de sujeiras, suor, oleosidade, pêlos, células descamativas e da microbiota da pele, interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato”. A higienização tem ainda como finalidades a prevenção e redução das infecções causadas pelas transmissões diretas e indiretas.
Algumas medidas paralelas importantes à uma eficiente higienização das mãos são apresentadas pela enfermeira coordenadora do CCIH do Hospital São Lucas, Priscila Chavenco. “É necessário que se mantenham as unhas naturais, limpas e curtas; evite utilizar esmaltes; não use unhas postiças quando entrar em contato direto com os pacientes; evite utilizar anéis, pulseiras e outros adornos quando assistir ao paciente; aplique creme hidratante nas mãos, diariamente, para evitar ressecamento na pele”, destacou a enfermeira.



Saiba mais

Atualmente, programas que enfocam a segurança no cuidado do paciente nos serviços de saúde tratam como prioridade o tema higienização das mãos, a exemplo da Aliança Mundial para Segurança do Paciente, iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), firmada com vários países, desde 2004. Embora a higienização das mãos seja a medida mais importante e reconhecida há muitos anos na prevenção e no controle das infecções nos serviços de saúde, colocá-la em prática consiste em uma tarefa complexa e difícil.

Na Santa Casa de Itabuna, na terça-feira, a partir das 10 horas e das 15 horas, serão realizadas dinâmicas de orientação para higienização das mãos e distribuição de folder informativo sobre técnicas de higienização, eficácia e curiosidades sobre o tema. As ações ocorrem nos próprios pavilhões de internação junto ás equipe de assistência ao paciente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário