quinta-feira, 29 de setembro de 2011

SALVADOR - ITAPARICA: GOVERNO APRESENTA PROJETO DE MEGA PONTE

Com aproximadamente 12 quilômetros de extensão, seis faixas de tráfego, duas pistas de acostamento e um trecho móvel, com largura de 160 metros. Este foi o projeto básico selecionado para a ponte Salvador-Itaparica, por meio do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), realizado pelo Governo da Bahia. O resultado do PMI, que será publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (30), foi apresentado na tarde desta quinta (29), na Fundação Luís Eduardo Magalhães, em evento com a presença do governador Jaques Wagner, secretários de Estado, entre outras autoridades.
A ponte Salvador-Itaparica deve ser iniciada em 2014 e concluída em 2018. As intervenções têm investimentos estimados em até R$ 7 bilhões. Os recursos serão dos governos federal e estadual e da iniciativa privada. A previsão é que as obras comecem por Salvador, entre o berço do terminal de São Joaquim e a área de ampliação do porto, chegando à Gameleira, em Vera Cruz. O objetivo é garantir maiores condições de mobilidade e segurança a todos que trafegarem pela via.
O projeto prevê que o espaçamento entre as pilastras de sustentação da obra deve ser de 250 metros. Haverá um vão central, de espaçamento de 700 metros de largura e 70 metros de altura, utilizado para a passagem de embarcações destinadas aos portos de Salvador e Aratu, e uma profundidade de 25 metros, que possibilitará o atracamento de embarcações, a exemplo de navios.
Também estão previstas duas pilastras de sustentação que se movimentarão em torno de seu eixo central, para permitir a passagem de embarcações mais altas pela estrutura como plataformas. Outra novidade é a criação de um mirante, que servirá como mais um ponto turístico e de onde os visitantes poderão apreciar a Baía de Todos-os-Santos, Salvador e a Ilha de Itaparica.

Nas próximas etapas serão realizados estudos de impacto ambiental

Para as próximas etapas está prevista a realização de estudos de viabilidade técnica e econômica, além de impacto ambiental. A previsão é que todo este processo, mais a licitação estejam prontos até 2014, quando as obras devem começar.
“Vamos aprofundar o projeto até o edital de licitação para que a modelagem final aconteça. Tenho certeza que um bom projeto da integração da ilha a Salvador vai atrair investidores do mundo inteiro. O que estamos fazendo não é apenas uma ponte, é um projeto de desenvolvimento, arrojado, que deve garantir 30 a 40 anos de desenvolvimento para toda esta região beneficiada pela ponte”, afirmou o governador Jaques Wagner.

Empreendimento será compatível com expansão do porto de Salvador

O secretário do Planejamento, Zézeu Ribeiro, explicou que o projeto preserva padrões estéticos da baía, além de ser compatível com a expansão do Porto de Salvador e a viabilidade das operações portuárias no interior da Baía de Todos-os-Santos, garantindo ainda a implantação de estaleiros e unidades industriais nos municípios do entorno da baía.
O prefeito municipal de Vera Cruz, Antonio Magno, disse que a ponte será um instrumento de desenvolvimento para o município. “Esta é uma oportunidade ímpar que temos para a sustentação econômica da cidade e torná-la planejada e mais desenvolvida”.
Integração- As cidades de Salvador, Vera Cruz e Itaparica sofrerão impactos positivos com a ponte, que se integrará à BA001 e às BR’s 101, 116 e 242. Em Salvador, o Centro Antigo será dinamizado e haverá integração com as obras de mobilidade. Em Vera Cruz e Itaparica, a expectativa de aumento populacional fará com que ocorra um amplo desenvolvimento urbano, inclusive com revisões nos Planos Diretores de Desenvolvimento Urbano (PDDU) desses municípios, de forma a assegurar a sustentabilidade ambiental.
Sistema Viário Oeste n A partir da ponte será construído o Sistema Viário Oeste, proporcionando a duplicação das BA’s 001 e 046, nos trechos entre Bom Despacho, Nazaré e Santo Antônio de Jesus, e ainda implantada nova rodovia, ligando os municípios de Santo Antônio de Jesus e Castro Alves. A partir daí, ocorrerá duplicação da BA-493 até o entroncamento com a BR-116.
Projetado como um indutor de desenvolvimento econômico e social, o Sistema Viário Oeste será elemento fundamental na dinamização de toda a Bahia. Haverá um novo impulso ao eixo litorâneo sul, permitindo a criação de um novo polo industrial e logístico no Recôncavo Baiano, ancorado por investimentos já em curso (estaleiros em São Roque do Paraguaçu) ou projetados (nova retroárea do porto de Salvador).
Com essas intervenções, a expectativa é que sejam abertas três vertentes de desenvolvimento. A primeira soluciona um gargalo logístico, criando uma nova conexão do complexo portuário da Baía de Todos-os-Santos com as BRs 101, 116 e 242, encurtando a distância entre 100 e 200 quilômetros para quem vier do sul e do oeste.
As obras também permitirão a retomada do desenvolvimento de regiões fragilizadas economicamente, entre as quais a Ilha de Itaparica, Recôncavo baiano e o baixo sul. O projeto criará ainda um novo eixo de expansão urbanística, diminuindo a pressão sobre as áreas urbanas de Salvador e do litoral norte. O turismo nos municípios ao longo da BA-001, desde Salvador até Ilhéus, também será estimulado.
glt/is

Nenhum comentário:

Postar um comentário