sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Indústria de coco em Conde vai acelerar desenvolvimento do Litoral Norte

Fábrica do grupo Aurantiaca vai gerar 500 empregos diretos e tem capacidade para processar 1 milhão de cocos/dia

(Conde – Ba) - Maior produtor de coco do Brasil, a Bahia terá a primeira fábrica de fibra de Coco, no município de Conde, na Linha Verde. A nova indústria vai gerar cerca de 500 empregos diretos e três mil indiretos, numa região que tem população estimada em mais de 12 mil pessoas. Acompanhado pelos sócios do Grupo Aurantiaca, empresários Piet Henk Dörr e Willem Koyker, e pelo diretor de Indústria da SICM, Denis Fraser, o secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, visitou a área onde a fábrica será erguida e onde já está sendo realizada a terraplenagem.
“Até junho do próximo ano a unidade de fibras já estará em operação, e até o final de 2012 as obras estarão totalmente concluídas. A inauguração do complexo será no início de 2013”, disse Piet Henk Dörr, acrescentando que nos próximos 30 dias deverá assinar protocolo de intenções com o governo do Estado. O complexo industrial terá capacidade para processar um milhão de cocos/dia, sendo 400 mil frutos secos e 600 mil frutos verdes. O empresário Piet Dörr explicou que na primeira fase de funcionamento, o complexo industrial vai processar coco para fabricação de fibra. Num segundo estágio, o complexo vai produzir óleo e leite de coco, e na terceira fase vai industrializar água de coco.
A fábrica do Grupo Aurantiaca, de acordo com o diretor industrial Oscar Lavrini, vai funcionar no sistema de integração com os produtores da região e terá a matéria prima fornecida por cerca de mil agricultores familiares, que terão também assistência, treinamento e capacitação. Para o secretário Eduardo Salles, a parceria do grupo com os pequenos produtores será fundamental para o desenvolvimento da região, que poderá em pouco tempo ter a área plantada dobrada.
Antes de visitar a área industrial o secretário reuniu-se com os empresários na sede da Fazenda Bú, onde decidiram pela realização de uma reunião com agentes financeiros, (BB, BNB e Desenbahia), com o objetivo de viabilizar uma linha de crédito especial para a cultura do coco. “O coco está inserido na cadeia da fruticultura, considerada estratégica para o Estado e incluída no programa Vida Melhor, lançado há pouco mais de dois meses pelo governador Jaques Wagner”, disse o secretário.
Além disso, o secretário afirmou que vai articular com a EBDA e a prefeitura do município de Conde a instalação de um Posto Avançado, (Pavan), em Conde, para que os agricultores familiares possam ter emitida com rapidez a DAP, (Declaração de Aptidão ao Pronaf), carteira de identidade que permite ao pequeno produtor ter acesso às políticas públicas dos governos estadual e federal. O Pavan dará maior apoio à assistência técnica na região, importante produtora de coco.
De acordo com Fernando Florence, técnico da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola, EBDA, a Bahia tem cerca de 80 mil hectares de área plantada com produção anual de 500 milhões de coco. Com 15 mil hectares plantados, o município de Conde lidera o ranking estadual em área plantada, que é superior a estados como Rio de janeiro, Paraíba e Alagoas. Na Bahia, a cultura do coco gera 240 mil empregos e é praticada essencialmente pela agricultura familiar.
A propriedade do grupo empresarial tem área de aproximadamente cinco mil hectares, dos quais 500 hectares são de área plantada, que deverá ser ampliada para dois mil hectares. O restante é Área de Preservação Permanente. Segundo Dörr, 50% da matéria prima será de produção própria e o restante será adquirido dos pequenos produtores da região, que terão valor agregado ao produto e receberão incentivos para introduzir tecnologia ao cultivo do coco e aumentar a área plantada.

Josalto Alves – DRT-Ba 931

Nenhum comentário:

Postar um comentário