terça-feira, 11 de outubro de 2011

Nova fábrica em Simões Filho dará suporte à cadeia do petróleo

De olho no investimento de US$ 111,4 bilhões, previsto pela Petrobras para o Pré-sal, até o ano de 2020, a Bomcobras vai investir R$ 130 milhões na construção de uma fábrica de máquinas e equipamentos destinados à prospecção e extração de petróleo e gás na Bahia.
A empresa é fruto de uma joint venture entre o grupo Asperbras e Brasil China Petróleo (BRCP) e a chinesa Baoji Oilfield Machinery Company (Bomco), subsidiária da semi-estatal PetroChina. Maior companhia petrolífera da China, a PetroChina é considerada pela Ernst & Young como a empresa de maior valor de mercado do mundo. Localizada no município de Simões Filho (Região Metropolitana de Salvador), a Bomcobras vai produzir equipamentos para exploração onshore e offshore, entre os quais bombas de lama, tubos e torres de perfuração, guindastes e sondas com alcance de até 12 mil metros.
O investimento inicial será de R$ 130 milhões, sendo R$ 30 milhões para obras de infraestrutura e mais R$ 100 milhões em uma segunda etapa, quando a fábrica entrar em operação, no final do segundo semestre de 2012. Serão gerados 200 empregos diretos.
Melhor lugar - “O petróleo nasceu na Bahia e a China vai caminhar junto, agora, na prospecção dos caminhos do Pré-sal. Depois do grande investimento de R$ 3 bilhões no Gasene, os chineses fazem agora essa primeira incursão em direção ao Pré-sal. Sejam bem-vindos à Bahia, o melhor lugar do Brasil para investir, fazer negócios e viver com qualidade”, disse o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia, no jantar de lançamento da Bomcobras, na segunda-feira (10), no HotelGrand Hyatt, em São Paulo.
A criação da empresa atende ainda a uma determinação da presidente Dilma Rousseff, que exigiu a nacionalização das empresas que vão participar da exploração do petróleo na faixa do Pré-sal. Durante o evento, foi lida uma mensagem da presidente saudando a nova parceria sino-brasileira.
Pré-sal - Ao lado da mineração e da produção de alimentos, o petróleo é uma das áreas que vem despertando o maior interesse das empresas chinesas no Brasil. No ano passado, a estatal Sinopec anunciou um aporte de US$ 7,1 bilhões para ficar com uma participação de 40% da espanhola Repsol no Brasil, de olho na produção de petróleo do pré-sal.
"Claro que estamos de olho na produção do pré-sal. A previsão é de que iniciaremos a construção dos equipamentos para a atividade de petróleo em um período de dois a três anos. Sempre tivemos interesse em abrir no Brasil uma base de fabricação de equipamentos. Agora surgiu a oportunidade da parceria com a Baoji para a fábrica na Bahia", disse o diretor da Bomcobras, Francisco Colnaghi. Em março deste ano, o grupo Chongqing Grain Group Corporation anunciou investimentos de R$ 4 bilhões para construção de um polo industrial de esmagamento e refino de óleo de soja no Oeste Baiano. Agora, na semana passada, a JAC Motors anunciou sua disposição de construir uma fábrica de automóveis na Bahia, para produção de 100 mil veículos/ano, representando investimentos de R$ 900 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário