terça-feira, 13 de março de 2012

Itacaré reduz número de casos de dengue em 37%

O trabalho desenvolvido pela Secretaria de Saúde Itacaré e a contribuição da população vêm sendo fundamentais no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. A parceria entre os agentes de endemias e a comunidade resultou na redução de 37.5% no número de casos da doença entre 1º de janeiro e está terça-feira, 13.
Os dados da Vigilância Epidemiológica da Bahia mostram que neste ano foram registrados 10 notificações de dengue no município. Revelam também que desde 2009 que o número de notificações vem caindo. Em 2011 a redução ficou em 25,6%. Foram 93 notificações contra 125 do ano anterior.
O índice geral de infestação no primeiro ciclo de 2011 foi de 2,0 e neste ano, caindo 1,2% no mesmo período deste ano. Isso é resultado de uma série de mutirões de limpeza que a Vigilância Epidemiológica do município vem realizando em diversas regiões da cidade, removendo lixo, materiais recicláveis e recipientes, que poderiam se tornar criadouros do Aedes aegypti.
Mas o secretário de Saúde de Itacaré, Ricardo Torres, alerta a comunidade que “nem por isso devemos relaxar. A população precisa continuar contribuindo porque o sucesso do trabalho do nosso pessoal depende muito dela”, lembra.

Queda no ano

O município de Itacaré consegue reduzir o número de casos da dengue exatamente quando muitos municípios baianos registram aumento nas notificações. Há localidades, inclusive no sul da Bahia, que registraram aumento de mais de 1.000% de notificações de dengue neste ano. “A nossa meta é fechar o ano com queda de pelo menos 20%”, afirma o prefeito Antônio de Anízio.
A Secretaria Estadual de Saúde aponta como principais sintomas da dengue, dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, tontura, mãos ou pés frios, hemorragias, palidez ou rubor facial, pulso rápido, fino, agitação ou letargia, desconforto respiratório, diminuição repentina da temperatura, redução do volume de urina.
A recomendação para o paciente com sintomas da doença é tomar muito líquido: água, suco de frutas, soro caseiro, chás, água de coco e sopas. Evitar automedicação. Procurar assistência médica em caso de sinais de alerta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário