sexta-feira, 22 de junho de 2012

Ceplac apresenta sistema cabruca na Rio+20

A avaliação dos dirigentes do órgão é que a Ceplac e o sistema cabruca saem fortalecidos da Rio+20
Um painel, com três palestras e a exibição de um documentário sobre o sistema cabruca (plantação de cacau sob proteção de árvores da Mata Atlântica no sul da Bahia), marcou hoje (19) a participação da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) na Rio+20.
A apresentação da Ceplac ocorreu no auditório da Embrapa Solos, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro (RJ), dentro da programação oficial do Ministério da Agricultura na Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável.
A palestra principal foi proferida pelo engenheiro florestal Dan Érico Lobão, do quadro da Ceplac, que falou para um público formado principalmente por ambientalistas, agrônomos, jornalistas e diversos outros formadores de opinião. Outro painel foi apresentado pelo presidente do Instituto Cabruca, Durval Libânio, seguido de um depoimento do produtor rural Guilherme Galvão, presidente da Associação dos Produtores de Cacau (APC).
O diretor-técnico da Ceplac, Edmir Ferraz, ressaltou a grande participação do público como balisador do sucesso da participação do órgão na programação do Mapa. “Vimos as pessoas pedindo que se desse mais
tempo para nossas apresentações, porque o tema cabruca é apaixonante, e assim foi avaliado pelos presentes ao assitirem as palestras. O filme, por sua vez sintetizou a grande importância do sistema, trocando os números pela leveza da arte. Arrebatou a todos”.
O superintendente da Ceplac na Bahia, Juvenal Maynart avaliou o evento como de “absoluto sucesso”. Para ele, a sensação é de dever cumprido, uma vez que, após a Rio+20, a cabruca passa a ser vista com muito mais respeito no meio científico. “A Ceplac, como a única instituição de governo que tem insersão produtiva nos dois principais biomas de florestas tropicais do país, também sai mais forte dessa conferência. Durante todo o dia, nas diversas palestras sobre sistemas agroflorestais, a Ceplac foi citada como o órgão que tem capacidade técnico-científica para gerir um plano nacional agroflorestal. Não há dúvida de que saimos fortalecidos”.

Inclusão
Um dos nomes de maior relevância entre os ouvintes foi engenheiro florestal e fundador da Rede Brasileira Agroflorestal (Rebraf), Jean Dubois. Ele destacou a importância do sistema cabruca para a sustentabilidade
no meio rural, e afirmou que o trabalho da Ceplac nesse sentido é essencial. “Conheço o trabalho da Ceplac há anos, fui grande amigo de Paulo Alvim. Fiquei feliz por ver a cabruca em destaque, mas defendo que ela deve ser ainda mais valorizada. Isso é essencial”, observou Dubois. 
Quem também destacou o trabalho da Ceplac foi o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores rurais Sem Terra (MST), Márcio Matos.
Para ele, a parte mais importante da apresentação da Ceplac é o sentido de inclusão que o órgão dá ao sistema cabruca. “Vi que incluir pequenos produtores, trabalhadores assentados e agricultores familiares é premissa do sistema cabruca. Esse aspecto é importantíssimo, e temos no sul da Bahia o exemplo do assentamento Terra Vista, em Arataca, que se utiliza desse sistema para garantir renda, segurança alimentar e inclusão social aos assentados”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário