quarta-feira, 14 de novembro de 2012

ZOONOSES DE ILHÉUS ALERTA SOBRE CARAMUJOS E ROEDORES


O Centro de Controle de Zoonoses de Ilhéus continua com o trabalho de combate aos roedores e aos caramujos em Ilhéus e segue atendendo as denúncias realizadas pela população sobre estes casos. A leptospirose (doença infecciosa causada por uma bactéria eliminada através da urina de ratos), por exemplo, tem todos os casos da doença notificados pela Vigilância Epidemiológica de Ilhéus e acompanhados por
técnicos.
Quando ocorre a notificação de algum caso, o endereço do paciente é enviado ao Centro de Zoonoses, que realiza todo o processo de desratização no bairro e nas adjacências, para que a ação atinja os roedores positivos. Caso a população verifique o aparecimento de roedores na residência ou no bairro onde mora, também pode entrar em contato com o CZZ. Tanto no atendimento a esses casos, quanto no acompanhamento das notificações, é realizada a colocação do raticida, uma espécie de veneno para ratos.
Já a espécie conhecida como caramujo africano tem tido ocorrência principalmente na zona sul da cidade, em bairros como Pontal e Sapetinga. O caramujo africano é hermafrodita e possui uma rápida proliferação. Ele realiza quatro posturas ao ano, com cerca de 400 ovos em cada uma. O animal pode transmitir doenças aos seres humanos, e por isso é importante manter um nível de infestação baixo, preservando a saúde pública. Assim, a população deve recorrer ao Centro de Zoonoses quando encontrar estes animais tanto em residências, quanto em lugares públicos como ruas e praças.
Medidas preventivas podem ser tomadas como impedir a formação de entulhos, acondicionar corretamente o lixo, e só colocá-lo na porta de casa próximo ao horário de passagem do caminhão de coleta, evitam a proliferação de ratos e caramujos. Deve-se evitar também o contato com água ou lama de enchentes, bem como impedir que crianças nadem ou brinquem nas águas de enchentes ou córregos. Nessas situações,
a urina dos ratos, presente em esgotos e bueiros, mistura-se à enxurrada e à lama, elevando o risco do contato humano com a bactéria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário