quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Encomenda de R$ 2,7 bilhões leva Alstom a duplicar fábrica em Camaçari

Para atender à demanda da Renova Energia, que vai comprar 440 aerogeradores, a partir de 2015, com investimentos aproximados de R$ 2,7 bilhões, a Alstom vai duplicar a sua fábrica instalada na Bahia. O anúncio foi feito ontem (6) e prevê que as duas empresas vão trabalhar juntas para a produção de equipamentos com características próprias para otimizar a produção de energia na região de Caetité, no sudoeste baiano.

Os equipamentos, que serão fabricados no Polo Industrial de Camaçari, terão capacidade de gerar um total de 1,2 gigawatt de energia – volume equivalente à quase totalidade de geração do mercado eólico brasileiro hoje.
De acordo com o presidente mundial do setor de energias renováveis da Alstom, Jérôme Pecresse, a unidade em Camaçari passará a funcionar em dois turnos nas próximas semanas e vai gerar 50 novos empregos diretos. “Acreditamos que o mercado brasileiro deve ganhar dois gigawatts de capacidade em energia eólica por ano, até 2020, e que, quando chegarmos lá, o Brasil deve ter 10% da energia gerada desta matriz”.
Mathias Becker, presidente da Renova, afirmou que o negócio propiciará o desenvolvimento de aerogeradores que atendam às características de vento da região baiana, onde a empresa já colocou em pé cerca de 300 megawatts em parques eólicos. “Não basta ‘tropicalizar’, não basta ‘brasilificar’. Tem que ‘caetetizar’ as máquinas”.
Ele citou o neologismo criado pela companhia para melhor definir as necessidades dos equipamentos que serão adaptados à realidade regional do vento. A expectativa é que o fator de capacidade das turbinas seja incrementado de 3% a 4%, com o desenvolvimento de tecnologias específicas.
Segundo o secretário James Correia, da Indústria, Comércio e Mineração, a assinatura desse contrato mostra o posicionamento líder que a Bahia tem no setor eólico, não só no Brasil, mas em toda a América Latina. “O estado já sedia o maior projeto individual e o maior complexo de parques eólicos do país, e agora assina o maior contrato do setor eólico da história. Esses resultados mostram que, além dos fortes ventos que sopram em nosso território, a nossa indústria se mostra competitiva, suprindo as expectativas do mercado”.

Maior complexo eólico da América Latina

Do total de equipamentos comprados, 544 megawatts já têm destino certo e servirão para dar continuidade aos parques da Renova em Caetité. O restante precisará aguardar a venda futura de energia pela empresa nos certames do governo federal ou no mercado livre.
A Renova possui mais de um gigawatt de capacidade instalada contratada em parques eólicos. Em julho de 2012, a companhia inaugurou o maior complexo eólico da América Latina, instalado nos municípios baianos de Caetité, Guanambi e Igaporã. Os 14 parques eólicos comportam 184 aerogeradores e 293,6 megawatts de capacidade instalada, contratada no leilão de energia reserva de 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário