terça-feira, 23 de abril de 2013

Sucesso da 1ª edição do Escritas em Trânsito impulsiona o lançamento de novas turmas do projeto

Depois de promover nove oficinas literárias com renomados autores de todo o Brasil, iniciativa vai trazer à Bahia outros 14 nomes da literatura brasileira contemporânea
De novembro do ano passado até este mês de abril, a 1ª edição do Escritas em Trânsito, projeto promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), promoveu nove oficinas ministradas por renomados autores de todo o Brasil, disponibilizando 180 vagas para interessadas em produção literária. Aprovada pelos escritores convidados e alunos participantes, a iniciativa já teve desdobramentos importantes e se prepara para a continuidade, em 2ª edição, desta vez com 14 turmas, que serão conduzidas por outros igualmente qualificados nomes da literatura brasileira contemporânea: Allan da Rosa, Antonio Cicero, Bruna Beber, Carol Bensimon, Joca Reiners Terron, José Luiz Passos, Laura Erber, Luiz Antonio de Assis Brasil, Marília Garcia, Marina Wisnik, Noemi Jaffe, Ondjaki, Paulo Henriques Britto e Ricardo Domeneck. As inscrições, gratuitas, serão abertas em breve.
“Para mim foi uma experiência rica, uma troca de ideias incandescente. Muito legal levar coisas e também trazer coisas nesta troca toda. Vendo no geral, Escritas em Trânsito é um dos projetos mais interessantes e vivos da literatura brasileira contemporânea. Não tenho a menor dúvida disso”, consagra Fabiano Calixto, poeta, mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP), que deu a primeira oficina desta série, intitulada POESIA S.A.. O escritor Fabrício Corsaletti, formado em Letras pela USP, colunista da Folha de S.Paulo, que trouxe suas Narrativas Curtas: o Conto e a Crônica, também aprova a ação: “Fui muito bem recebido na Bahia, me senti acolhido, fiquei à vontade e, por isso, fiz o possível pra passar tudo o que eu sabia sobre a matéria trabalhada em sala de aula. Foi uma ótima experiência”.
Sobre sua Oficina da Palavra / Pintura e Lanternagem do Texto, Ricardo Chacal, poeta, escritor, performer e produtor cultural com quatro décadas de carreira, afirma: “A experiência foi muito além do esperado. Devido ao interesse e disposição da turma, pude experimentar método sempre desejado, mas nunca realizado. Difícil trazer o poema falado para dentro da sala de aula, grafocêntricos que somos. Mas quando se tem a liberdade e o desejo necessários para experimentar, a coisa flui, rompe paredes, se espraia pela vida. Foi um bom começo. Espero que continue”. Chacal também é autor de teatro, foi roteirista para TV Globo e para a TV Educativa, além de assinar parcerias musicais com nomes como Lulu Santos, Jards Macalé e Moraes Moreira.
Além deles três, a 1ª edição do Escritas em Trânsito reuniu Angélica Freitas, Carlito Azevedo, Luiz Bras, Marcelino Freire, Ricardo Aleixo e Veronica Stigger, poetas, escritores e ficcionistas de diversas origens e de vários estilos e formatos, todos reconhecidos e relevantes no Brasil, premiados e legitimados por uma crítica qualificada, possibilitando aos baianos o contato com a experiência destas pessoas.
O Escritas em Trânsito é resultado do diálogo entre a Coordenação de Literatura da FUNCEB e a sociedade civil em diversos encontros setoriais e eventos literários, nos quais foi enfatizada a necessidade de se ter acesso às discussões e diálogos que movimentam a cena literária nacional. O projeto responde às políticas de formação e fomento no âmbito da Literatura, bem como oferece aos profissionais do setor, na Bahia, o aprofundamento e o diálogo com outros artistas da palavra. As 180 vagas disponibilizadas na 1ª edição foram esgotadas em oito dias, comprovando a demanda existente pelo desenvolvimento, prática e aperfeiçoamento do trabalho em literatura de artistas da Bahia. Com carga horária que variou entre quatro e 20 horas, as oficinas abordaram temáticas sobre a poesia, o conto e a crônica, trazendo conteúdos para capacitação e apresentação de novas propostas para os processos criativos dos participantes.
DESDOBRAMENTOS: Aluna vence editais e outra tem texto publico n’O Globo – Luciany Aparecida Alves Santos foi uma das participantes do Escritas em Trânsito. Durante a experiência, ela tomou a decisão e então se assumiu, definitivamente, como escritora. Daí, arregaçou as mangas e investiu na formulação de projetos para impulsionar sua carreira. Inscrita no Edital Setorial de Literatura 2013, promovido pela FUNCEB/SecultBA, Luciany foi uma dos 24 selecionados no certame, com a proposta Contos ordinários de melã.co.lia. Além disso, com o projeto A Maldita Poesia De Dita Maldita, venceu o Edital Bolsa Biblioteca Nacional / Funarte de Criação Literária, de âmbito nacional, que fomenta a produção inédita de textos de gêneros lírico e narrativo a partir da concessão de bolsas para escritores iniciantes.
Outro desdobramento vivenciado por quem participou do Escritas em Trânsito foi protagonizado por Sarah Rebecca Kersley, inglesa radicada em Itacaré desde 2003, que integrou a turma da oficinaO Que Fazemos Quando Fazemos Poesia?, ministrada por Carlito Azevedo. Na edição de 26 de janeiro de 2013, o escritor publicou em sua coluna Risco, do caderno Prosa e Verso do jornal O Globo, um poema escrito por ela durante as aulas.
Projeto Escritas em Trânsito
Mais informações: 71 3324-8507 / literatura.funceb@funceb.ba.gov.br
Realização: Dirart/ FUNCEB/ SecultBA
Paula Berbert

Nenhum comentário:

Postar um comentário