sábado, 18 de maio de 2013

PROJETO DA BAMIN EM CAETITÉ E PINDAÍ É AUTORIZADO


Portaria publicada na edição desta quinta-feira, 16, do Diário Oficial da União (DOU), concede à Bahia Mineração (Bamin) direito para lavrar minério de ferro nos municípios de Pindaí e Caetité, no semiárido baiano, dois dias após a canadense Largo Resources obter também a licença para produzir 700 mil toneladas de vanádio em Maracás, no sudoeste do Estado. As licenças foram expedidas pelo Ministério de Minas e Energia e o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), depois de gestões realizadas pelo governador Jaques Wagner junto à presidente Dilma Roussef.
De acordo com o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia, os dois projetos representam investimentos importantíssimos, de cerca de R$ 4 bilhões, para a Bahia, que estava com licenças travadas em decorrência da discussão do novo marco regulatório da mineração. “Foi uma importante vitória, porque vamos incrementar em mais de 50% a produção mineral baiana comercializada”, disse o secretário, enfatizando que o Estado tem hoje uma carteira de investimentos no setor mineral de cerca de R$ 21 bilhões.
O Projeto Pedra de Ferro, da Bahia Mineração, com investimentos de R$ 3,5 bilhões, tem previsão de exportar 20 milhões de toneladas/ano de minério de ferro. Com o empreendimento, a Bahia se tornará o terceiro estado brasileiro com a maior produção do minério de ferro. Já a Largo Mineração, primeira mineradora de vanádio – minério utilizado em ligas metálicas de alta resistência – das Américas, está investindo aproximadamente R$ 500 milhões em sua mina baiana, que possui o melhor vanádio do mundo e colocará o Brasil no ranking dos grandes produtores mundiais, ao lado da África do Sul, Rússia e China.

Nenhum comentário:

Postar um comentário