LUIZA

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Congresso Nordestino de Municípios cobra olhar diferenciado para região

Acontece até esta quinta-feira (13), no Centro de Convenções, em Salvador, o Congresso Nordestino de Municípios. A abertura realiza, ontem (11), contou com a participação de presidentes de associações municipalistas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas. Juntos eles cobram avanços nas relações federativas e políticas regionais específicas para a região.
A presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria, ressaltou que o Congresso tem uma pauta política. “Nossa região sofre uma discriminação histórica, mas precisamos de líderes que olhem essa região com um olhar diferenciado. Não podemos repartir o pacto federativo igualitário, pois o país tem uma dívida histórica com o povo nordestino”, disse Quitéria e conclamou toda a região nordeste que se uma cada vez mais porque 2015 “será um ano de ajuste de contas e temos que ter um ideal do que nós queremos do governo”.
Municipalistas como o presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, Luis Benes Leocádio disse que é preciso realinhar o discurso da pauta municipalista. “Hoje os municípios estão quebrados e falidos e não suportam mais essa relação federalista”. Em concordância, o presidente da Associação de Municípios de Pernambuco (Amupe), ressaltou que a conjuntura é muito difícil e exige dos prefeitos muito mais cuidado e aprendizado. “Essa é uma oportunidade de integração e troca de informações, que proporciona mais conhecimento e capacidade de fazer uma gestão pública de qualidade”.
Já o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba, José Antônio Vasconcelos, falou das perdas do Fundo de Participação dos Municípios e da necessidade de planejar melhor a gestão. “Os recursos caem e as obrigações aumentam. Esse é o momento ímpar para levar um planejamento discutido aqui na Bahia para todo o Nordeste”.
A polêmica das ofensas ao povo nordestino nas redes sociais fez parte do discurso de vários presidentes. "O Nordeste está tão em moda depois das eleições. Parece que agora o Sul e Sudeste perceberam que existimos. Então, um evento como esse nos aproxima e firma nossa identidade, para sairmos daqui com boas idéias para o futuro”, afirmou o presidente da Associação de Municípios de Alagoas (AMA), Jorge Dantas..
A UPB organiza o congresso, em parceria com as associações municipalistas do Nordeste e o apoio da Bahiatursa. O evento reúne prefeitos, vereadores e técnicos da administração municipal para debater os desafios comuns vivenciado pelos municípios com o intuito de criar uma pauta conjunta de reivindicações como resolução final do congresso para ser entregue à presidente Dilma e ao Congresso Nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário