domingo, 15 de março de 2015

Aproveitemos a intenção de arrumar o país e arrumemos a nossa casa #sejahonesto



Quer acabar com a corrupção? Seja honesto!
Manifestações, movimentos sociais e torcida por mais um impeachment é o que descreve o cenário das notícias dos últimos dias. Aparentemente é possível perceber um grande movimento contra a corrupção e contra os representantes das grandes roubalheiras. Ninguém gosta de ser enganado e passado para trás.
O sentimento atual é de que estamos vivendo em um caos. A todo momento surge uma novidade, uma nova maneira de fraude, um novo desvio e uma nova mentira. Quem confia em algum político que jogue a primeira pedra. Não há nada correto.A teoria do caos proposta por Edward Lorentz estabelece que uma pequena mudança ocorrida no início de um evento qualquer pode ter consequências desconhecidas no futuro. Ou seja, não sabemos aonde levará todo esse desejo de mudança. E por ser tão incerto o real sentimento de tantos brasileiros, essas consequências podem ser ruins.
Em toda história política do Brasil mostramos insatisfação com nossa realidade. Em uma canção interpretada por Elis Regina é possível entender de forma mais intima essa análise:
“ Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais...”
Vivemos como nossos pais! Todas as tentativas de mudanças em anos passados não foram capazes de nos tirar da lista dos países mais corruptos do mundo, se não o mais. E sempre será assim, até porque o exemplo que desejamos de nossos representantes não é uma realidade em nossas vidas.
Somos verdadeiramente honestos? Ou ainda não houve a necessidade de mostrarmos que estamos contaminados por toda corrupção? Quem não conhece alguém que fraudou um atestado médico para faltar ao trabalho? Quantas pessoas devolveriam uma carteira com muito dinheiro encontrada em algum lugar? Se todo mundo devolveria, então por que essas notícias são destaques na mídia?
Quantos ensinam seus filhos a não tentarem ganhar vantagens na escola ou na faculdade? Quem não tem medo de deixar a bolsa ou a carteira em um lugar longe de sua visão? Todos respeitam seus colegas de profissão ou ficariam felizes em colocar um familiar em seu lugar? Quem nunca?
Voltando à teoria do caos, é necessário entender, que se não organizarmos as nossas vidas e nossas atitudes, nada mudará. Os representantes serão os mesmos, pois eles são o nosso reflexo. O reflexo do que o Brasil é nesse momento. É ilusão acreditar que APENAS caras pintadas, cartazes e bandeiras mudarão nossa realidade.
Se são apenas medidas paliativas que desejam, vão em frente. Se querem mudanças, arrumem a casa.
Publicado por Anne Silva -

Nenhum comentário:

Postar um comentário