terça-feira, 24 de março de 2015

ESTUDANTE DE ILHÉUS FATURA PRÊMIO ECOLÓGICO EM SÃO PAULO ENTRE DOIS MIL PROJETOS


Aluna do Ceep Amev, Stephanie Lauren Oliveira, com a orientação de duas professoras, teve projeto de decomposição de sacolas plásticas reconhecido pelo Centro Estadual Paula Souza e pela Sociedade Brasileira de Micobiologia (SBM).
O projeto da estudante ilheense, de 17 anos, que está no quarto ano do curso técnico de biocombustíveis, foi premiado em dose dupla. O Centro Estadual Paula Souza, autarquia do Governo de São Paulo que fomenta a pesquisa científica e administra cerca de 200 escolas técnicas, escolheu o experimento como um dos destaques. A importância ecológica e científica da iniciativa também foi reconhecida pela Sociedade Brasileira de Microbiologia (SBM), que o premiou com brindes e certificados. Concorreram, em categorias diversas, cerca de 2 mil projetos, enviados por estudantes de todos os estados da federação.
Decomposição - Segundo Stephanie Lauren, o projeto veio da necessidade de diminuir a quantidade de sacolas plásticas no meio ambiente, por elas representarem riscos a animais e à água. “A nossa intenção é decompor o material biologicamente, usando microorganismos presentes no solo. Através de processos aeróbicos e anaeróbicos (com e sem a presença de oxigênio, respectivamente), induzimos seres vivos presentes no solo a retirar o carbono do plástico e depois a usar o próprio material para se alimentar”, explica Lauren.Com os experimentos feitos no Ceep Amev pela estudante ilheense, o tempo médio para que esse tipo de material desapareça é de 11 anos. “Esse espaço de tempo foi obtido em nossos primeiros experimentos e pode ser diminuído com o avanço das pesquisas”, destaca Lauren.
Agora, com o reconhecimento do projeto por importantes órgãos científicos do Brasil, Stéphanie Lauren planeja passos mais largos: “Com os experimentos avançando, quem sabe poderemos produzir microorganismos para decomposição em grande escala e reduzirmos consideravelmente a presença dessas sacolas no meio ambiente?”, finaliza a estudante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário