sábado, 2 de maio de 2015

TEMPERAMENTO BIPOLAR PREJUDICA OS NEGÓCIOS, SEGUNDO PSIQUIATRA SALMO ZUGMAN QUE ANALISA PESQUISA E ORIENTA COMO MANTER QUALIDADE CRIATIVA E BEM ESTAR


Estudo da Universidade da Califórnia (Berkeley), comprova que a bipolaridade pode ser um passivo e não um ativo em um ambiente de negócios. A personalidade criativa de pessoas geniais, portadoras de transtorno de humor bipolar, isoladamente não assegura o sucesso empresarial.Psiquiatra Zugman analisa pesquisa e aponta alternativas p/ criativos bipolares.
“A saída para empresários inovadores e artistas obterem sucesso é o trabalho em duplas ou trios. Cada um traz um traço forte para o negócio – criatividade, capacidade de mobilizar pessoas, habilidade de organização e execução", afirma Zugman.
Temperamento bipolar prejudica os negócios, afirma pesquisa; psiquiatra Zugman analisa a pesquisa e aponta hábitos para favorecer a criatividade/sucesso/qualidade de vida.
Estudo da Universidade da Califórnia,em Berkeley, liderados por Sheri L. Jonhson, PhD, comprova que a bipolaridade pode ser um passivo e não um ativo em um ambiente de negócios. A personalidade criativa de pessoas geniais, portadoras de transtorno de humor bipolar, isoladamente não assegura o sucesso empresarial.
O psiquiatra curitibano, diretor do Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva, Salmo Zugman, interpreta o estudo americano como um argumento científico que refuta a bipolaridade como um fator que beneficia empreendedores e aponta a incapacidade da genialidade isolada em produzir o sucesso empresarial.
A pesquisa da Universidade da Califórnia testou e refutou à ideia do senso comum de que os pontos fortes da criatividade e da inteligência viva, presentes em pessoas bipolares, sejam fatores que asseguram o sucesso empresarial.
Prova disso percebe-se na vida de figuras de destaque mundial como o pintor Van Gogh, o presidente Churchill, o poeta Edgar Allan Poe, que tinham em comum a inteligência e o transtorno bipolar de humor que leva o portador a oscilar entre os estados de melancolia e euforia.
A nova pesquisa, publicada em nov.2014, liderada por Sheri L. Johson, PhD, da Universidade da Califórnia, divulgada no Journal Affective Disorders (publicada em 8/11/ 2014), analisou 101 pessoas que pretendiam tornarem-se empresários de uma amostra de alunos de graduação e mais 210 empresários todos foram avaliados para tendências maníacas subsindrômicas, com a Escala de Personalidade Hipomaníaca e para vulnerabilidade familiar para mania com índice de risco familiar para mania. Também foram preenchidos questionários de auto-retrato sobre a vida profissional.
“Os pesquisadores não encontraram nenhum suporte para as hipóteses de que o risco familiar para transtorno bipolar ou a presença de traços subsindrômicos de mania fossem positivamente relacionados a ser empresários ou a intenção de ser tornar empreendedores”, afirma o psiquiatra Salmo Zugman (chefe do serviço de psiquiatria da Universidade Federal do Paraná, 28 anos atuando em psiquiatria clínica).
Zugman acrescenta ainda que embora a literatura popular sugira uma relação entre o empreendedorismo e às tendências maníacas, tem havido pouca investigação científica sobre o assunto. “Esse estudo é um dos primeiros levantamentos quantitativos sobre traços maníacos e empreendedorismo e fornece o primeiro exame se essas características promovem o sucesso do empresário”, declara o psiquiatra.
Os resultados sugerem que traços maníacos estão relacionados à uma menor intenção de se tornar empreendedor. “Os investigadores da pesquisa relatam que os sintomas estavam relacionados com maiores perdas corporativas ao longo dos últimos três anos”, afirma Zugman.

Conclusões da pesquisa
O que sugere, segundo Zugman, que pelos menos uma forma de traços maníacos (presente na bipolaridade) pode ser um passivo e não um ativo em um ambiente de negócios”. Outra conclusão do estudo é a de que os resultados da pesquisas estão em desacordo com relatos de casos existentes na literatura relativa aos correlatos positivos da personalidade, empreendedorismo e transtorno bipolar.
Para Salmo Zugman o estudo americano é um argumento científico que refuta a bipolaridade como um fator que beneficia empreendedores e aponta a incapacidade da genialidade isolada em produzir o sucesso empresarial.
O psiquiatra Zugman acrescenta ainda que os pontos fortes de criatividade, percepção aguçada e forte inspiração, presentes nas grandes inteligências que são portadores de transtorno bipolar não produzem sucesso isoladamente porque falta ao ”portador de transtorno bipolar o senso de organização, a função executiva que transforma a ideia, a inovação em produto concreto comercializável e de sucesso”.
E ele cita como exemplo o pintor Van Gogh, gênio da pintura que morreu na miséria, e em uma crise psicótica suicidou-se.

Solução para os criativos bipolares: trabalho em duplas ou trios

O psiquiatra explica que poucas pessoas são como Steve Jobs reunindo, habilidades criativas, facilidade nas relações pessoais, organização e função executiva. “A boa saída para empresários inovadores e artistas para obterem sucesso é o trabalho em duplas ou trios, no qual cada um traz um traço forte para o negócio – a criatividade, a capacidade de mobilizar pessoas, a capacidade de organização e execução, aumentando as chances de sucesso, e reduzindo o estresse e a pressão que estaria em cima de uma única cabeça”, opina.

4 dicas de saúde mental para mentes criativas e irriquietas
(por Salmo Zugman)
- Utilize uma disciplina de horários para apoiar o processo de criação. Separe tempo para a vida pessoal e para o convívio social, reduza assim a tensão mental e emocional,evitando esgotamentos e insônia.
- Cultive um hobby desvinculado da atividade profissional.Essa atitude permite o arejamento das ideias; traz contentamento e oportunidades de traçar paralelos com o seu ramo de negócio, ampliando a capacidade de resolução de problemas.
- As empresas podem ajudar empreendedores/ intraempreendedores criando ambientes em que se possa fazer revisão das velhas formas de pensar. As pessoas com visões opostas poderão colocar as suas posições, de forma tranquila. O que uma pessoa fala pode ser exatamente o que a outra precisa ouvir.
- Quando os desafios afetam a saúde , trazendo sintomas de ansiedade, insônia e compulsões alimentares, o apoio terapêutico da Terapia Cognitivo-Comportamental pode ser eficaz. A terapia ajuda o paciente a distanciar-se de sua forma habitual de pensar, possibilitando observar e avalar se o pensamento está adequado. A proposta é a de mudar como a pessoa interpreta a realidade e com isso mudar os seus sentimentos e comportamentos.

3 dicas do GBG Curitiba para sucesso. GBG ajudou mais de 3 mil empresários/empreendedores a criar conexões/rede de apoio,
Erica Marques, manager e cofundadora do GBG Curitiba (Google Business Group) e recém-eleita Country Manager Brasil cita comportamentos inspirados no padrão Google.
- Planeje, realize e seja competitivo. Identifique os pontos fortes e fracos para depois desenvolvê-los e potencializar as capacidades.
- A característica mais importante para o sucesso é a criação de redes de apoio.
- Vem para o GBG potencializar suas capacidades de: planejamento (informação estratégica), realização (networking) e competição (redes de apoio).

4 atitudes de sucesso, segundo a PUCPR
O coordenador Núcleo de Empreendedorismo e Inovação da Escola de Negócios da PUCPR, Paulo Cesar Porto Martins, aponta 4 atitudes essenciais: humildade de aprender; ter atitude; ter foco;descubra seu valor/da sua empresa/do seu produto.
**IPTC www.iptc.net.br
Curitiba - PR (DINO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário