LUIZA

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

De olho em vantagens ambientais e econômicas, empresas aderem ao sistema de reúso de água

As crescentes preocupações com o meio ambiente têm gerado recorrentes discussões acerca da utilização consciente dos recursos hídricos disponíveis. Pensando nisso, plantas industriais estão aderindo à utilização de sistemas de água de reuso aumentando o número de ciclos de utilização de águas.
O sistema
Um dos modelos concebido e fornecido pela Ecosan para o setor sucroalcooleiro, empresa líder em equipamentos para tratamento primário e secundário de efluentes domésticos e industriais, foi projetado conforme descrito: vazão máxima de 15 m3/h, o sistema é constituído por Separador de Areia Mecanizado – SAM, Separador de Água e Óleo – TPI, Câmara de Floculação com Floculador tipo Turbina Axial, Câmara de Decantação de Alta Taxa com Módulos, duas Câmaras de Filtração com Leito Filtrante de Areia e Carvão Antracito e Sistema de Dosagem de Produtos Químicos.
Para o diretor executivo da Ecosan do Brasil, André Ricardo Telles, a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) tem a finalidade de produzir água clarificada e filtrada proveniente de lavadores de veículos, peças, por exemplo, para reúso na indústria, em pisos, jardinagem e fins que não sejam para consumo humano e animal.

Entenda o processo
A primeira etapa consiste em retirar a areia da água por método gravitacional. Na sequência, a água passa por um separador de água e óleo, para que a água fique clarificada e o óleo seja descartado corretamente.
O controle da vazão da estação é feito pela calha parshal, em que o líquido é direcionado para as câmaras de floculação, com o intuito de coagular e aglutinar as impurezas contidas na água. Em seguida, aplica-se o processo de decantação na água.
Por último, o líquido passa por um processo de filtragem e dosagem de antiespumante, com o objetivo de separar o detergente existente na água tratada.
Vervi

Nenhum comentário:

Postar um comentário