quarta-feira, 30 de novembro de 2016

SALVADOR - Governador Rui Costa descumpre a palavra e abre a Embasa para a iniciativa privada, afirma vereador Hilton Coelho

Em 2014, juntamente com outros candidatos ao governo do estado, o governador Rui Costa assumiu o compromisso de não privatizar Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A. (Embasa). O vereador Hilton Coelho (PSOL) critica com veemência a ação do governador que agora parte para privatizar a empresa.“Descumprindo a palavra empenhada e de forma sorrateira, dissimulada, enviou o Projeto de Lei 22.011/2016 na última quarta-feira (23) para a Assembleia Legislativa, através do qual abre a possibilidade de privatização da Embasa. O projeto visa instituir a Bahiainveste (Empresa Baiana de Ativos S/A), cujo capital será integralizado com até 25% das ações ordinárias e até 25% das ações preferenciais que o governo possui na Embasa. Não há outra palavra para classificar esse absurdo a não ser a entrega de um patrimônio público, a privatização. Uma vergonha que merece o repúdio da sociedade”, afirma.
Hilton Coelho lembra que “ao que parece, nem mesmo a direção da Embasa e integrantes do Conselho de Administração sabiam do teor da proposta. A votação só não ocorreu porque a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente no Estado da Bahia (Sindae) descobriu a trama e um deputado pediu vistas ao projeto, que acabou tendo sua votação adiada, conforme relata o legislador.
“A quem interessa tanta pressa em privatizar a Embasa? A sociedade deve ficar atenta pois o futuro da Embasa e do saneamento público estão em jogo. A abertura de capital da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) foi um fracasso e levou à crise hídrica aguda. É este tipo de privatização que Rui Costa quer fazer para prejudicar nosso povo? Em cerca de 20 cidades baianas a Embasa tem lucro e isso assegura que ela possa universalizar o atendimento para 380 municípios. O PSOL realiza estudos a respeito e faremos em breve a distribuição de um manifesto contra a privatização da Embasa”, conclui Hilton Coelho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário