quarta-feira, 29 de março de 2017

MS apresenta programas de prevenção do uso prejudicial de álcool e outras drogas para Saúde e Educação

Representantes das Secretarias de Estado da Saúde (SES) e da Educação (SED) estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira, 27, para conhecer e pactuar ações de três programas de prevenção do uso prejudicial de álcool e outras drogas desenvolvidos pelo Ministério da Saúde (MS). No período da tarde, secretários municipais da Saúde, Educação e Assistência Social de Florianópolis e Tubarão falaram de suas experiências na implementação e avaliação dos programas desde o ano de 2013. O encontro foi realizado na sala de reuniões da Superintendência de Regulação, da SES, em Florianópolis.
De acordo com o MS, o Brasil é pioneiro na implementação dos três programas de prevenção do uso e abuso de álcool e outras drogas. O Programa Elos – Construindo Coletivos é destinado a crianças de 6 a 10 anos de idade (do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental) e suas famílias em ambiente escolar. Já o Programa #Tamojunto deve ser desenvolvido em ambiente escolar com educandos de 13 a 14 anos e suas famílias. E o Programa Famílias Fortes é para famílias com adolescentes de 10 a 14 anos, desenvolvido pelos serviços de saúde e/ou assistência social.

O objetivo dos programas é interromper a sequência de fatores que criam um contexto que pode levar ao uso prejudicial de álcool e outras drogas, além de diminuir o uso já iniciado e/ou retardamento da idade de experimentação. Este trabalho é baseado na coesão, ou seja, com o fortalecimento de projetos, habilidades de vida, de vínculos familiares, com a escola e comunidade; elaboração de estratégias de intervenção de médio e longo prazo; monitoramento, avaliação dos processos e resultados alcançados.

Segundo a responsável pelos Programas de Prevenção do Uso de Drogas nas Escolas e Comunidades da Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do MS, Michaela Batalha Juhásová, em 2017 foram iniciadas as ações de disseminação nacional dos três programas. “Pensamos que esta ação deve ser intersetorial. Nossa perspectiva para este ano é alcançar em torno de 14 estados. E em 2018 conseguir atingir todos os 26 e também o Distrito Federal”, explica Michaela.

Devido às experiências bem-sucedidas e impactos positivos dos programas de prevenção, outros cinco municípios catarinenses (Joinville, Jaraguá do Sul, São José, Blumenau e Imbituba) mostraram interesse em aderir às ações e estiveram reunidos nesta terça-feira, 28, com representantes da SES e do MS para avaliar e viabilizar a adesão aos programas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário