terça-feira, 28 de março de 2017

Projeto Revitalizar, pela exclusão social que promove, retoma obra de ACM, o avô, afirma vereador Hilton Coelho (PSOL)

Em relação ao debate realizado nesta terça-feira (28), na Super Terça da Câmara, sobre o Projeto de Lei nº 302/16, do Executivo municipal, que cria o Programa de Incentivo à Restauração e Recuperação de Imóveis do Centro Antigo de Salvador (Revitalizar), o vereador Hilton Coelho (PSOL) critica o fato de não se destinar de forma prioritária à habitação, em especial a popular. “Pode existir projetos voltados para moradia, mas eles precisam necessariamente estar associados ao comércio e serviços. Repete o mesmo processo de ACM, o avô, o original, que na época do Pelourinho priorizou o estimulo aos negócios, ao turismo e não à moradia”, afirma.
O vereador do PSOL questiona a isenção de IPTU e outros tributos para quem aderir o projeto. “Pode ter uma relação direta com a aquisição da Rede Mazzafera de imóveis no Centro. Foram 103 transações comerciais nessa mesma área que será atingida pelo programa. Aparenta ser um programa pensado para esta empresa. Será que o grupo Mazzafera teve informação privilegiada?”

Nenhum comentário:

Postar um comentário