LUIZA

quinta-feira, 22 de junho de 2017

4ª edição do Fuxicos Futuros acontece no dia 27 de junho

Dando continuidade aos seus encontros mensais, o projeto-ação “Fuxicos Futuros: Conversas no Pátio” chega à 4ª edição no dia 27 de junho (terça-feira), das 19h às 21h, no Goethe-Institut Salvador-Bahia, que acolhe este ciclo de conversas protagonizadas por mulheres atuantes na Bahia. Entre trocas existenciais, políticas e artísticas, a iniciativa é idealizada e produzida por um coletivo de artistas e intelectuais, negras, indígenas, trans, bi e lésbicas. O objetivo é promover diálogos e a articulação da comunidade negra envolvida no debate da problemática racial e de gênero que atravessa a história da sociedade brasileira. Desta vez, atuam como interlocutoras a designer de moda autoral, professora e pesquisadora Carol Barreto, a estudante de cinema Julia Morais e a publicitária, blogueira, professora e pesquisadora Thiane Neves. A entrada é franca.
A iniciativa se inspira na experiência de Grada Kilomba na capital baiana. Durante sua permanência no Vila Sul, programa de residência artística do Instituto Goethe, a artista portuguesa, cuja obra aborda questões de gênero, raça, trauma e memórias, realizou três conversas performáticas que mobilizaram centenas de pessoas entre novembro e dezembro de 2016, especialmente mulheres negras, que se fizeram mais presentes na rotina do ICBA. Kilomba ativou debates e efervesceu a necessidade de espaços que estejam abertos à intelectualidade e vivência dessas mulheres.
Esta movimentação revelou-se tão potente que trouxe à tona a memória dos anos 1970, quando o Brasil vivia uma ditadura militar e o casarão do Goethe, localizado no Corredor da Vitória, se firmou como um vigoroso lugar de engajamento social e político, inclusive contra o racismo. No período, havia perseguição e repressão a qualquer reunião considerada subversiva e o diretor do instituto à época, Roland Schaffner, abria as portas para o movimento negro da Bahia. Manfred Stoffl, o diretor atual, pontua: “Nos é muito importante que uma ação relevante como essa tenha se desenvolvido a partir da presença de uma de nossos residentes. Queremos estar sempre comprometidos com as causas da cidade e fazer desta casa um lugar de liberdade e diversidade”.
Composto por 12 mulheres, o Coletivo Transdisciplinar Fuxicos Futuros reúne conhecimento não-hegemônico e define uma agenda própria, focada em si e em suas demandas políticas emergentes. Além das conversas, o grupo se envolve em outras duas ações: o “Escambo de Fuxicos”, um momento informal de interação, e um grupo de estudos, para subsidiar e enriquecer as conversas.
Site: www.goethe.de/bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário