LUIZA

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Polícia Civil descobre plano por trás de homicídio e prende viúva da vítima pelo crime

Poucas horas depois do homicídio de José Lacerda Ferreira Lima Junior (29), a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) descobriu a autoria do delitoeo plano criminoso que estava por trás da morte. O caso ocorreu no município de Russas – na Área Integrada de Segurança 18 (AIS 18) do Estado, na madrugada da última segunda-feira (03). Ainda durante as primeiras investigações sobre a ocorrência, a viúva da vítima foi presa em flagrante por cometer o crime juntamente com seu amante – primo de José Lacerda.
Os agentes de segurança encontraram a porta da casa totalmente aberta, o corpo do homem amordaçado, com as mãos e pés amarrados para trás. O imóvel fica no bairro Várzea Alegre e os primeiros a chegar lá foram policiais militares. Em seguida, policiais civis da Delegacia Regional de Russas compareceram à residência e logo estranharam as contradições apresentadas por Ortenilda Maia Morais (29), viúva de José Lacerda e casada com ele há 15 anos, com quem teve três filhos.

“Nilda”, como é conhecida a mulher, foi quem acionou a Polícia e tentou convencer os investigadores sobre sua versão dos fatos, mas não conseguiu. “Os policiais estranharam as versões contraditórias dela”, explica o delegado Bruno Silva, titular da delegacia da cidade. Ele detalha que a mulher insinuou uma invasão à residência, mas não havia sinais de arrombamento nas portas. Em poucas horas, a viúva passou de testemunha para suspeita e foi conduzida à unidade policial. Ainda de acordo com o delegado, ela persistiu em contradições durante todo o interrogatório, até confessar envolvimento no crime. Mas ela não agiu sozinha.

O comparsa de “Nilda” foi identificado como Francisco Rodrigues Maciel (42), natural de Teresina, no Piauí, primo da vítima e com um relacionamento amoroso com a esposa dele, conforme revelou em depoimento a viúva. O delegado Bruno Silva também fala que a capturada contou em depoimento que o amante já esteve preso em São Paulo, onde cumpriu pena. A relação extraconjugal dos suspeitos começou há cerca de um ano, quando Francisco passou a morar em Russas. Nas alegações da capturada, o crime foi motivado por insatisfações de seu amante com supostas agressões feitas por seu marido contra ela. A mulher registrou Boletins de Ocorrência (BOs) nos anos de 2008 e 2012 por lesão corporal contra o companheiro.

A presa confessou abrir a porta dos fundos da casa para Francisco Rodrigues, que teria a obrigado a amarrar o marido, morto com uma facada no pescoço. Para render a vítima, o suspeito teria utilizado uma arma de fogo. Durantes as buscas realizadas na casa, os policiais encontraram um pote com veneno popularmente conhecido como “chumbinho”. Conforme o delegado Bruno, exames periciais deverão indicar se a vítima ingeriu ou não o tóxico. Além da substância química, várias roupas sujas de sangue foram apreendidas na casa.

Em suas declarações, “Nilda” afirma ter aberto a porta para o homicida de seu marido por volta de 00h30min, e que foi embora cerca de uma hora depois. Durante o período do crime, um de seus filhos, com idades entre 01 e 10 anos, permaneceu em choro. Mas isso não teria abalado a mulher, que seguiu com o plano, segundo as investigações. Duas horas mais tarde, ela resolveu acionar a Polícia. “Ela contou friamente”, fala o delegado, ao citar que a suspeita aparentou mais preocupação com o amante.

Os trabalhos policiais prosseguem no sentido de apurar o envolvimento de outras pessoas no delito, bem como capturar Francisco Rodrigues. A população também pode auxiliar nos trabalhos policiais. Caso alguém tenha informações sobre o paradeiro do suspeito, denúncias podem ser feitas para o disque denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), pelo número 181, ou para o (88) 3411-8567, que é o telefone da Delegacia Regional de Russas. O sigilo é garantido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário