LUIZA

domingo, 9 de julho de 2017

Projeto limita percentual de loterias usado em manutenção de entidade esportiva

Leonardo Prado / Câmara dos Deputados

Jordy: Não pode a atividade meio deter mais recurso que a atividade fim

Dos recursos de concursos de prognósticos e loterias federais repassados para os comitês Olímpico Brasileiro (COB) e Paralímpico Brasileiro (CPB), apenas 10% poderão ser usados em gastos com manutenção administrativa das entidades. É o que determina o Projeto de Lei 6631/16, do deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA), em tramitação na Câmara dos Deputados.A proposta altera a Lei Pelé (Lei 9.615/98). A norma destina para o esporte 2,7% da arrecadação bruta dos concursos de prognósticos e loterias federais, deduzido desse valor do montante destinado aos prêmios.
A lei não prevê a utilização destes recursos na manutenção das atividades esportivas, mas, na prática, isso já vem acontecendo. O deputado apresentou o projeto para dar previsão legal ao uso e estabelecer um limite (10% do montante) para este tipo de despesa.
“Entendemos que pode ser necessário destinar valores para manutenção das entidades e assim garantir um bom funcionamento dos organismos. Entretanto, não pode a atividade meio deter mais recurso que a atividade fim, como vem acontecendo”, disse Jordy.
'Agência Câmara Notícias'

Nenhum comentário:

Postar um comentário