terça-feira, 19 de junho de 2018

Suspeito de matar mãe e filha em Fortaleza é preso e confessa crime



Francisco José da Silveira, com passagem por estupro e por violência doméstica, foi flagranteado por homicídio qualificado por motivo fútil e será investigado para verificar todas motivações para o crime.

O homem apontado como autor das mortes de Cláudia do Nascimento Fernandes (37) e Letícia Fernandes Mendes (12), no bairro João XXIII (AIS 6), em Fortaleza, foi preso nessa segunda-feira (19), no município de Cruz, na Área Integrada de Segurança 17 (AIS 17). Francisco José da Silveira (30) foi preso na casa de familiares, onde estava escondido após cometer o crime contra a companheira e a enteada. Ele não resistiu à prisão e confessou o crime aos agentes de segurança. Uma ação conjunta da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio do Departamento de Polícia do Interior Norte (DPI Norte) e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e da Polícia Militar do Ceará (PMCE), por meio do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) de Acaraú, resultou na prisão do suspeito.
As equipes policiais iniciaram as diligências logo após tomarem conhecimento do achado de cadáver das duas vítimas, no último sábado (18). Vizinhos das vítimas revelaram que sentiram um forte odor vindo do interior da residência e comunicaram o fato à Polícia. As investigações avançaram e foi verificado que o companheiro de Cláudia sumiu após o crime. Diante das evidências, foi possível determinar o local para onde Francisco José da Silveira teria se evadido. Após o cometimento do crime, segundo investigação, ele comprou uma passagem de ônibus para o município de Cruz, onde familiares dele residem. Ele foi encontrado no distrito de Belém, na casa de parentes, por composições do BPRaio e da Polícia Civil – da DHPP, de Acaraú e de Jijoca de Jericoacoara.
Após a prisão, o homem foi conduzido à Delegacia Regional de Acaraú, em seguida, ele foi levado para lavratura do flagrante na sede da DHPP, em Fortaleza. Conforme levantamentos da 6ª Delegacia da DHPP, responsável pelas investigações do caso, o suspeito confessou ter cometido o crime após uma discussão banal com a companheira, entre a quarta (13) e a quinta-feira (14), na residência onde moravam. Francisco José relata que, na noite do crime, os dois saíram para jantar e haviam bebido na ocasião. Quando retornaram a casa, ela o teria impedido de sair novamente, momento em que ele tentou pegar as chaves da casa e a empurrou. De acordo com o presidente do inquérito, delegado Otávio Coutinho, no empurrão, Cláudia teria batido com a cabeça na mesa e caiu desacordada. “Nesse momento, a filha da vítima viu a cena e, com medo de que ela chamasse a Polícia, ele pegou uma corda e estrangulou a menina. Depois disso, ele pôs as duas na cama e estrangulou Cláudia”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário