sexta-feira, 24 de maio de 2019

Bancários cobram do Itaú garantia de emprego

Em meio ao anúncio de fechamento de 400 agências por todo o país até o fim deste ano, a principal preocupação do movimento sindical é com o emprego bancário. Este inclusive é um dos temas da reunião entre representação dos trabalhadores e do banco, hoje (23), em São Paulo.
O encontro marca o retorno do Grupo de Trabalho de Saúde e Condições de Trabalho do Itaú. Na última reunião, realizada no último dia 7, a direção da empresa havia informado as agências fechadas até o momento e as realocações feitas nestes casos. Agora, a COE (Comissão de Organização dos Empregados) quer atualização dos números e colocar em pauta as demissões.
O Itaú, maior banco privado do país, lucrou R$ 6,87 bilhões no primeiro trimestre de 2019, no entanto, acelerou a política de corte. No período, eliminou 597 postos de trabalho e fechou 60 agências físicas, em contrapartida, abriu 35 agências digitais, as quais já somam 195 unidades.
Um olhar rápido nos dados confirma a incoerência. Cada vez mais rentável, o banco tem fechado unidades. (SBBA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário