sábado, 4 de maio de 2019

Prefeito Edivaldo recebe equipe do projeto Contadoras de História premiado com o Troféu Baobá de Literatura

Prefeito Edivaldo recebe equipe do projeto Contadoras de História, premiada com o Troféu Baobá de Literatura
O prefeito Edivaldo Holanda Junior recebeu, nesta quinta-feira (2), o grupo que compõe o projeto Contadoras de História, que integra a Coordenação do Livro Infantil da Secretaria Municipal de Educação (Semed), criada em sua gestão. O projeto foi o vencedor da 3ª edição do Troféu Baobá de Literatura, cuja premiação ocorreu no último sábado (27), em São Paulo. Na ocasião, o prefeito parabenizou o trabalho da equipe premiada, destacando a iniciativa como uma das estratégias na área da educação do município desenvolvida com o objetivo de incentivar a literatura, o gosto pela leitura e estimular o censo crítico dos alunos da rede municipal de ensino. O ato, ocorrido no Palácio La Ravardière, também contou com a presença do titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Moacir Feitosa, e da secretária adjunta de Ensino, Maria de Jesus Leite.

"Esse prêmio é mais uma de nossas iniciativas reconhecidas nacionalmente e que vem como reconhecimento a esse belo trabalho desempenhado por meio do projeto Contadoras de História, que tem feito grande diferença na educação de nossas crianças, no estímulo à leitura e no seu desenvolvimento cognitivo de modo geral de nossos alunos da rede municipal. E ter a oportunidade de mostrar para o Brasil esse valioso projeto, ser referência na área e ganhar o reconhecimento de uma premiação tão importante como esta nos mostra que estamos no caminho certo e nos estimula a fazer ainda mais pela educação da nossa cidade", afirmou o prefeito Edivaldo.



Segundo o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, o projeto Contadoras de História, que tem o prefeito Edivaldo como um dos grandes incentivadores, é uma das importantes intervenções pedagógicas desenvolvidas da rede municipal com o propósito de melhorar a leitura, a escrita e o senso crítico dos alunos. "Sem dúvida, o projeto tem feito enorme diferença como ferramenta educacional, pois a arte-narrativa desenvolvida pelo projeto é um excelente instrumento não apenas de estímulo à leitura, como também para a construção de valores, o desenvolvimento das habilidades socioemocionais e raciocínio lógico-matemático", disse Moacir Feitosa.
No ato de apresentação do Troféu Baobá de Literatura ao prefeito, uma das contadoras de histórias integrante do projeto, Rayssa Diniz Borralho, que é surda, narrou a fábula dos Três Porquinhos, na Língua Brasileira de Sinais (Libras). O trabalho desempenhado por Rayssa no projeto Contadoras de História integra as estratégias de educação inclusiva priorizada na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, visando abranger os alunos surdos da rede com a iniciativa. A equipe de contadoras de histórias da Semed é composta ainda por Sinara Coelho Lima Rodrigues, Rosangela Teixeira Souza e Luciane Silva de Souza Cunha.



RECONHECIMENTO
A professora Sinara Coelho Lima Rodrigues, que também é coordenadora do Livro Infantil da Semed, integrou a delegação ludovicense que recebeu o prêmio em São Paulo. Ela destacou o reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo projeto e o incentivo dado pela educação municipal à iniciativa premiada. "A premiação fortalece ainda mais nosso trabalho de consolidar a literatura com instrumento fundamental de educação inclusiva e de estímulo à formação de novos leitores. A literatura, hoje, é uma rotina na rede municipal de ensino, utilizada das mais diversas formas para ampliação do conhecimento dos alunos", disse a contadora de história.
Rayssa Borralho também ressaltou o valor da premiação para educação municipal e para os profissionais que compõem a equipe. "Sinto-me imensamente feliz de fazer parte desse projeto, contando histórias utilizando a Língua Brasileira dos Sinais. E receber essa premiação tão importante como reconhecimento ao nosso trabalho, que também tem a inclusão como ferramenta primordial para levar a literatura ao público surdo, é alentador para todos nós que temos a literatura infantil como ferramenta de educação", relatou Rayssa Borralho, em Libras.
Feliz com o destaque positivo dado ao projeto que também integra, a professora Rosângela Teixeira corrobora com a opinião de suas companheiras. "Hoje somos referência na área e esse prêmio vem como resultado de muito empenho de toda a equipe e por acreditarmos que o lúdico pode contribuir imensamente com o crescimento educacional de nossos alunos", observou a professora.



TROFÉU
O Troféu Baobá de Literatura, instituído pelos Coletivos de Contadores de Histórias Grupo Paulistano Línguas Encantadas e Encantantes e Grupo Paulista Contadores do Reino, reconhece iniciativas e personalidades que fortalecem as artes literárias e narrativas, contribuindo para a valorização do livro e o gosto pela tradição oral. A delegação que representou São Luís foi convidada para abrir a solenidade de entrega do prêmio, no último sábado (27), no Teatro Leopoldo Fróes, do Centro Cultural Santo Amaro, em São Paulo.
O projeto Contadoras de História já beneficiou mais de 10 mil alunos da rede municipal. A iniciativa tem como objetivo estimular a leitura, incentivar a literatura e fazer dos momentos lúdicos de contação de histórias um espaço propício à criação, ao desenvolvimento cognitivo dos alunos e à construção de valores importantes para a vida.
Com o mesmo propósito são desenvolvidos ainda vários outros programas como Carro Biblioteca, com acervo de quase dois mil livros que atende as 98 escolas da Educação Infantil; Resgate e Valorização do Autor Maranhense; e a contação de histórias vinculada à utilização da Biblioteca Móvel, além de Formação de Professoras da Educação Infantil em Literatura Infantil: Teorias e Práticas para Contadores de História.

Nenhum comentário:

Postar um comentário