quarta-feira, 11 de março de 2020

Indignação de olavistas coloca ‘carta branca’ de Regina Duarte na berlinda



POR Grasielle Castro - No dia em que tomou posse como nova secretária Especial de Cultura, a atriz Regina Duarte cobrou do presidente Jair Bolsonaro autonomia para montar sua equipe.
“O convite que me trouxe até aqui falava em porteira fechada, carta branca. Não vou esquecer não, hein presidente! Foi com esses argumentos que me estimulei e trouxe para trabalhar comigo uma equipe apaixonada, experiente, louca para colocar a mão na massa”, disse, na quarta-feira (4).
Cinco dias depois, uma edição extra do Diário Oficial da União trouxe o cancelamento de uma indicação da secretária para chefiar a Secretaria de Diversidade Cultural. Maria do Carmo Brant, pelas regras bolsonaristas, não deveria ter sido nomeada. Isso porque ela integrou o governo petista de Dilma Rousseff, no comando da Secretaria de Assistência Social.
Nos bastidores, a informação é quem tem monitorado os passos de Regina na secretaria é o filho do presidente, vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). Teria sido ele quem alertou sobre o governo passado de Maria do Carmo Brant.
De acordo com o jornal O Globo, 8 nomes escolhidos por Regina foram vetados pelo governo. No dia em que foi cobrado, Bolsonaro já apontava para esse destino. À atriz, ele disse que, apesar da ‘carta branca’, ele poderia vetar alguns nomes.
Regina demonstrou irritação com os entraves para montar sua equipe em entrevista ao Fantástico, no domingo (8). Ao jornalista Ernesto Paglia, ela afirmou que iniciaria os trabalhos apenas nesta semana “porque até aqui estivemos ocupados com enormes dificuldades de toda uma facção que quer ocupar esse lugar. Quer que eu me demita, que eu me perca”.

Pressão olavista
Na semana passada, ela foi alvo de críticas de bolsonaristas, inclusive de Olavo de Carvalho, guru ideológico. Em uma publicação no Facebook no início da semana passada, Olavo sugeriu a ela que não assumisse o cargo, se não quisesse estar vinculada a seu nome.
“Ao cogitar o seu nome para o posto, a primeira opinião...
Continue a ler no HuffPost

Nenhum comentário:

Postar um comentário