quarta-feira, 9 de junho de 2021

CONSELHO DE ÉTICA APROVA PERDA DE MANDATO DA DEPUTADA FLORDELIS

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) que é acusada pelo MP-RJ de ter assassinado em 2019 o marido, Anderson do Carmo que, assim como a deputada, eram pastores na mesma igreja em Niterói foi derrotada com 16 votos e apenas 1 voto favorável. A deputada recorrerá à CCJ como último recurso para manter o mandato. Mas a cassação será por voto de seus pares no Plenário em sessão abertae nominal com maioria absoluta de 257 deputados. Flordelis compareceu dia 8 ao Conselho de Ética chorosa e encenando ser vítima de preconceito por ser negra e periférica, fato que não comoveu a quase unanimidade dos deputados que seguiram o relator Alexandre Leite (DEM-SP) pela punição máxima da deputada que, com a provável cassação perderá automaticamente a imunidade parlamentar e ficará vulnerável a prisão e julgamento pelo assassinato do marido. Sete filhos da deputada foram presos por cumplicidade no crime. A deputada ainda questionou que a cassação do seu mandado iria tirar o sustento de sua família e que apresentaria provas de sua inocência. Mas o desconforto dos demais deputados em conviver no mesmo ambiente com Flordelis e a sensação de impunidade que tomou conta da opinião pública falou mais alto. Membro da comissão Carlos Sampaio, PSB-MG disse que “O proceder da parlamentar feriu a imagem da Câmara. É uma conduta para a qual cabe a perda do mandato”. Na opinião de Mário Heringer a manutenção do mandato de Floredelis configuraria numa obstrução a Justiça por conta da imunidade parlamentar. Marcos Mauricio com ACN

Nenhum comentário:

Postar um comentário