segunda-feira, 16 de maio de 2022

Exposição “Toponímia de Itabuna: ruas e avenidas revelam histórias” recupera história de Itabuna através de seus personagens

“Toponímia de Itabuna: ruas e avenidas revelam histórias” abre a série de exposições temporárias do novo Centro Cultural Teosópolis. Ela recupera a história de Itabuna, por meio dos seus personagens, desbravadores que construíram e fizeram a história do município sul baiano. Mostra também personagens do cenário nacional que dão nome às ruas da cidade. O novo Centro Cultural Teosópolis, inaugurado na última sexta-feira (6), fica localizado na Praça dos Eucaliptos, no Conceição, em Itabuna. Desenvolvida pela UESC, a exposição é um verdadeiro sobrevoo sobre o município. Funciona das 14h às 17h30min e conta a história de figuras como o pastor Hélio Lourenço da Silva, Fernando Cordier, Manoel Leão, João Soares, Maria Pinheiro, Daniel Gomes, Sarinha Alcântara, Simão Fitterman, José Alcântara e Paulino Vieira, pessoas que dão nome a ruas e bairros de Itabuna, verdadeiros desbravadores do município. “A exposição traz para nossos jovens a compreensão de como foi construída a nossa Itabuna”, explica o reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Alessandro Fernandes. A universidade é parceira do projeto. No passeio por Itabuna, por meio de painéis, é relatada a história de vida de Aziz Maron, Mário Padre, Inácio Tosta Filho, Comendador Firmino Alves, Felix Mendonça, José Soares Pinheiro, Corbiniano Freire e Amélia Amado. A exposição também traz vida e obra de Olinto Leone, primeiro intendente de Itabuna, engenheiro responsável pela primeira planta da primeira igreja Matriz de São José de Itabuna e o primeiro Fórum de Justiça, além de medições para a planta urbana da própria vila. “É uma oportunidade para que a nossa população possa conhecer a nossa história”, diz a educadora Janete Ruiz Macedo, da Uesc. Homens que deixaram um legado na história de Itabuna e que dão o nome a uma praça, como o pastor Hélio Lourenço da Silva, paraibano com uma vasta obra social e educacional realizada em Itabuna. Exemplo do Mutirão Macho, para prevenção do câncer de próstata, o maior do Brasil. Responsável pela implantação dos Encontros de Casais com Cristo e o Encontro de Jovens, que visam fortalecer as famílias. Ele era casado com a musicista Cacilda Lourenço da Silva, que dá nome ao Centro Cultural. Traz ainda a história de vida de Laura Conceição, Gileno Amado, o advogado Lafayete Borborema e, também, personagens da vida nacional como Juraci Magalhães e Barão do Rio Branco, que emprestam seus nomes a avenidas e ruas de Itabuna. A exposição está aberta a estudantes e a comunidade em geral gratuitamente, até setembro de 2022. Visitantes serão guiados para conhecer a exposição e o Centro Cultural. Mantido pela Associação de Beneficência e Cultura Teosópolis, em uma parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)e a Prefeitura de Itabuna por meio da secretaria de Educação e da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania. “O Centro pertence a Itabuna e seu povo, é um bem cultural para nossa gente conhecer sua história”, pontuou Geraldo Meireles da IBT. Visitas a exposição podem ser agendadas pelo telefone (73) 9 8870-9586.

Nenhum comentário:

Postar um comentário