segunda-feira, 2 de maio de 2022

OPINIÃO: Daniel Silveira para presidente do Brasil

Há 6 anos, o impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff foi aprovado na Câmara dos Deputados. Embora haja divergência sobre a legalidade do processo, a votação dos deputados ficou marcada na história do Brasil por alegações em defesa da família até a exaltação de torturadores da ditadura. Naquela época, um deputado em especial dedicou seu voto a favor do impeachment em memória de Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel do Exército, ex-chefe do DOI-CODI, um dos órgãos de repressão política da ditadura. A esta altura, o leitor já deve saber que este deputado foi eleito presidente do Brasil em 2018. O fato de Bolsonaro não ter sido preso logo após o seu voto, revelou o quão fraca estava a nossa democracia, já que a apologia à ditadura militar é crime no Brasil, previsto na Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83). Estamos em 2022 e mais um deputado rompe as barreiras e testa os limites da lei. O deputado federal pelo Rio de Janeiro, Daniel Silveira, condenado a oito anos e nove meses de cadeia pelo plenário do Supremo em 20 de abril, é conhecido por seus ataques às instituições e pessoas, sendo um dos bolsonaristas mais ilustres. No mesmo dia em que o STF o condenou por declarações violentas contra ministros da Corte, o presidente Jair Bolsonaro, no uso de suas atribuições, concedeu Graça, livrando seu pupilo da condenação. Desde a páscoa, o deputado afirmou que não usa mais a tornozeleira eletrônica, se colocando acima da lei. Bolsonaro fez escola. Embora o indulto individual concedido pelo presidente possa deixá-lo livre da cadeia, ainda resta a questão da inelegibilidade e direitos políticos. Daniel está em plena campanha ao senado federal, também pelo Rio de Janeiro, o que significa um grande passo em sua recente carreira política. No entanto, o afrontamento do parlamentar às instituições diante de um ano eleitoral e o vale-tudo pelo poder, coloca o país inteiro refém de quem jurou proteger, numa série de abusos que terá por fim a total descrença na justiça e a instalação da barbárie política-judicial. Portanto, caro leitor, a campanha presidencial pós-bolsonaro já começou. Andreyver Lima é jornalista, comentarista político no programa Impacto Boa FM, âncora do Café iPolítica e editor do blog Seja Ilimitado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário